Professores de Todo o Mundo, Uni-vos!

Nunca antes na história de país vimos tamanha degradação em nossa profissão. Professores mal formados, pouco dispostos a trabalhar ou a fazer um bom trabalho ou a contribuir para mudar as coisas.

Pára.

O estado de miséria do professor é tamanho hoje que qualquer crítica desse nível deve ficar, infelizmente, em segundo plano.

Pois sim, criticas a nosso trabalho e a nossa formação devem ser feitas. Nossas escolas precisam mudar e não sei se os professores estão preparados para isso. Talvez estejamos presos a um certa inércia.

Mas nada disso interessa. Fomos jogados ao lixo da historia, a escoria da sociedade.

E não foi por que  jogaram cachorros sobre nós (sim, querido professor, eles, no Paraná, somos nos, seja você do Ensino Fundamental, médio, Infantil ou Superior; técnico, graduado, mestre ou doutor; da escola publica ou particular). Mas por que fomos usurpados de qualquer papel reflexivo sobre a educação. Não participamos de nada que diga respeito a mudar a escola. Alem disso, fomos jogados a vala da miséria econômica, com salários de fome, mas também a salas de aula lotadas, a escolas sucateadas e sem segurança, sem material básico para trabalhar.

Não, a questão da violência não e por conta da punição. O problema não pode ser falta de policiamento, mas a pouca capacidade emocional, intelectual e técnica que vivemos hoje de compreender coletivamente a escola de hoje. Se quiser conhecer a escola, eu que busque a academia, que faca um mestrado ou doutorado que vá para estantes de universidades.

Fomos relegados ao que há de pior da divisão social do trabalho: simples montadores de pecas, em que no máximo usamos manuais de instrução. Contudo, nossos produtos, os alunos, não querem ser montados – ainda bem.

Para nos sobra a miséria moral, econômica e a frustração de não sermos nada, não querermos ser nada. Talvez sonhar. Mas quando, com jornada longa e levando trabalho pra casa?

E não diga que escolhemos: eu escolhi e me dei bem, gosto do que faço e tenho boas condições de trabalho. Agora eu pergunto: em nossos sonhos relacionados à profissão, nele incluímos seus problemas?

Essa sociedade, parte dela, cala-se frente aos professores e aos comentaristas e revistas que não mencionam o grave ocorrido. Mas bate panela durante programa do PT na TV. Sério? Que tal batermos palmas a todos os professores em greve, ao invés de lhes darmos somente a indiferença?

Anúncios

2 Respostas

  1. Excelente texto, vc sabe minha opiniao sobre a minha opcao de não seguir a carreira de professor, so faco uma ressalva sobre o final do texto, pois bater panela contra o PT ou apoiar o governo em nada tem haver com a indiferenca para com a educacao no pais…

    • Valeu camarada. Eu quis registrar o quanto essa galera tem energia para enxergar uma causa justa para se manifestar e não tem para outra, mais antiga e urgente, como a educação. E como fica fácil enxergar o PT como mal e não a repressão aos professores no Paraná. Vem dizer que tem Blac Bloc infiltrados e coisas do tipo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: